Brasil Covid-19 no Brasil

Brasil chega a 613 mil mortos por covid-19

O governo também registrou 10.312 novos casos em 24 horas. São 22.030.182 diagnósticos confirmados desde o início da pandemia.

Por Hélder Loureiro Pegado

23/11/2021 às 18:48:38 - Atualizado há

O Ministério da Saúde confirmou 284 novas mortes por covid-19 no Brasil nesta terça-feira (23). Agora, são 613.066 vítimas da doença no país.

O governo também registrou 10.312 novos casos em 24 horas. São 22.030.182 diagnósticos confirmados desde o início da pandemia.

Os registros diários de mortes não se referem às datas das mortes, mas ao dia em que o óbito foi informado ao Ministério da Saúde. Nos finais de semana e feriados, os números caem porque há menos funcionários no órgão e nas Secretarias de Saúde para relatar os dados, e não por haver menos mortes.

Taxa de transmissão da covid-19 volta a subir no Brasil

A taxa de transmissão do novo coronavírus no Brasil voltou a subir nesta semana e está em 1,06, de acordo com a última atualização do Imperial College de Londres, realizada na segunda-feira. Na semana passada, o índice havia ficado em 0,99.

A atual taxa quer dizer que cada 100 pessoas infectadas transmitem o vírus para outras 106. Pela margem de erro das estatísticas, essa taxa pode ser maior (de até 1,12) ou menor (de 0,78).

A menor taxa registrada no país desde o início da medição, em abril de 2020, foi em outubro deste ano, quando foram registrados 11.060 mortes pela doença.

Apesar de a taxa de transmissão voltar a subir, o Brasil tem mantido a tendência de queda no número de casos e óbitos pela covid.

Cuidados devem ser mantidos

Dados mais recentes do Ministério da Saúde mostram que foram aplicadas 297,9 milhões de vacinas contra a covid-19 em todo o Brasil, sendo 157,3 como primeira dose, 128,4 como segunda dose ou dose única e 11,5 como dose de reforço.

Com isso, quase 61% da população brasileira está totalmente imunizada contra com o esquema vacinal completo. Porém, os especialistas alertam que os cuidados, como o uso de máscaras e distanciamento, não devem ser abandonados.


Preocupação com o carnaval

A diretora-geral adjunta de acesso a medicamentos e produtos farmacêuticos da Organização Mundial da Saúde (OMS), a médica brasileira Mariângela Simão, manifestou preocupação com o futuro da pandemia no Brasil, principalmente por conta das discussões em curso sobre o Carnaval.

"Me preocupa quando vejo no Brasil a discussão sobre o Carnaval. É uma condição extremamente propícia para aumento da transmissão comunitária. Precisamos planejar as ações para 2022", alertou.

Ela reforçou que ao vírus continua evoluindo com variantes mais transmissíveis e lembrou que a vacinação reduz as hospitalizações, mas não interrompe a transmissão da doença.

"O aumento da cobertura vacinal não influencia na higiene pessoal, mas tem associação com diminuição do uso de máscaras e distanciamento social. Além disso, há desinformação, mensagens contraditórias que são responsáveis por matar pessoas", apontou a diretora-geral adjunta da OMS.

Fonte: Catraca Livre
Comunicar erro
Paraiba Em Pauta

© 2021 Paraíba Em Pauta - Jornalismo Plural, de Interesse Público! Todos os direitos reservados à Pauta Comunicação & Assessoria.
Rua Vigário Calixto, 1754, Catolé, Campina Grande, Paraíba, Brasil.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Paraiba Em Pauta