Vale do Piancó História

Conheça um pouco da história de Boa Ventura que completa 60 anos de emancipação política; vídeo

O atual munic√≠pio foi criado em 1 de dezembro de 1961, pela Lei Estadual n.¬ļ 2605.

Por Hélder Loureiro Pegado

01/12/2021 às 18:29:23 - Atualizado h√°

A cidade de Boa Ventura, localizada na regi√£o do Vale do Piancó, Sert√£o da Para√≠ba, completa 60 anos de emancipa√ß√£o pol√≠tica nesta quarta-feira (1¬į). Ao longo das seis décadas, o munic√≠pio construiu histórias marcantes.

A origem da localidade remonta às terras pertencentes à Casa da Torre desde 1700. Em 1776, o Alferes Lu√≠s Pinto de Sousa estabeleceu-se na regi√£o, na fazenda S√£o Boaventura. Em 1887, iniciou a constru√ß√£o da capela dedicada à Nossa Senhora da Concei√ß√£o, conclu√≠da em 1892. A capela impulsionou o povoamento do local.

O distrito de S√£o Boaventura foi criado em 27 de julho de 1901. No in√≠cio do século XX, surgiu a lideran√ßa de José Cavalcante Estrela de Lacerda, o Coronel Zuza Lacerda, em luta contra os cangaceiros. Após perder as elei√ß√Ķes em 1903, o coronel decidiu se rebelar contra os poderes estaduais e municipais e decretou a Rep√ļblica da Estrela, que durou 3 dias.

Até o in√≠cio da década de 1960, a atual cidade de Boa Ventura era distrito de Itaporanga, que, à época, chamava-se Misericórdia. O interventor, à ocasi√£o de sua emancipa√ß√£o foi Jorge de Freitas, primeiro prefeito do munic√≠pio. O comerciante Cl√°udio Cavalcanti de Arruda foi o primeiro prefeito eleito. A economia da cidade baseava-se, principalmente, na agropecu√°ria e agricultura.

Com o nome de Boa Ventura, o munic√≠pio foi criado em 1 de dezembro de 1961, pela Lei Estadual n.¬ļ 2605.

Primeiras residências

Segundo Pedro Pinto, ex-prefeito da cidade, em relato no filme 'Rep√ļblica da Estrela', (abaixo), "as primeiras resid√™ncias constru√≠das s√£o aquelas que ficam por tr√°s da igreja matriz de nossa cidade. Ali√°s, o surgimento do munic√≠pio é muito parecido com o de toda e qualquer cidade: perto de onde tem √°gua e sempre próxima a uma pequena capela".

De acordo com historiadores locais, o atual munic√≠pio de Boa Ventura come√ßou com a chegada do coronel Francisco Diniz e o Alferes Luiz Pinto. De onde vieram? As informa√ß√Ķes nesse sentido s√£o vagas, mas na localidade se instalaram e fizeram morada, isso em meados de 1750 ou mais adiante um pouco. Uma das filhas do coronel era a famosa Maria Bara√ļna, que foi homenageada com o nome de uma escola municipal.

Devido a uma promessa, eles constroem uma capela e dedicam a Nossa Senhora da Concei√ß√£o, nome da pequena casa de ora√ß√£o. Até mesmo uma escritura de doa√ß√£o do terreno da capela eles fizeram. O documento foi confeccionado na cidade de Pombal, √ļnica cidade do Sert√£o que dispunha de um cartório. O documento ainda existe e est√° em bom estado de conserva√ß√£o.


Continua Pedro Pinto, relatando um pouco a história de Boa Ventura: "Pois bem, com o passar dos tempos, aquela pequena comunidade foi crescendo, passando por Vila, Distrito, até que, no ano de 1961 conquistou a emancipa√ß√£o pol√≠tica, através de um ato governamental de Pedro Moreno Gondim, ent√£o governador da Para√≠ba. Algumas reformas na capela foram feitas e chegaram até mesmo a aument√°-la, até que na década no final da década de setenta, atendendo a um apelo do bispo dom Zacarias Rolim de Moura, a igreja foi praticamente derruba e erguida para o outro lado, com a constru√ß√£o de uma torre, acompanhando assim o desenvolvimento da cidade. O grande enfrentante da obra foi o ex-prefeito de Itaporanga, Abra√£o Diniz, que era natural de Diamante. Ele, decepcionado por perder uma campanha para prefeito daquela cidade, veio morar aqui em Boa Ventura, onde morreu e foi sepultado".


"Aquelas casas que ficam ao lado e por tr√°s da igreja s√£o as primeiras constru√ß√Ķes, claro que muitas delas foram totalmente reformadas e ganharam outras arquiteturas, embora ainda existam casas conservadas que s√£o muito antigas. Basta ver a largura das paredes. S√£o de tijolos grandes, como se fossem feitas seguras para uma poss√≠vel defesa dos moradores", acrescenta Pinto..

"E um pedreiro amigo meu contou que, em certa ocasi√£o, fazendo uma reforma em uma daquelas casas, ao derrubar o reboco de uma parede chegou a cair uma certa quantidade de balas de rifles, outras de revolver. E que em muitas casas havia, de uma casa para a outra, portas, dando a entender que numa poss√≠vel invas√£o de fam√≠lias inimigas e até mesmo de cangaceiros, os moradores escapariam mudando de casas rapidamente", conclui Pedro Pinto.

Filme

Em 2018, o ator Felipe Rodrigues, que j√° atuou em séries da Rede Globo, fez um longa-metragem, juntamente com uma oficina de teatro de Boa Ventura, contando parte da história do munic√≠pio. As grava√ß√Ķes foram realizadas em diversas comunidade rurais do munic√≠pio.

O enredo, intitulado Rep√ļlica da Estrela, conta uma pequena parte da trajetória do Coronel Zuza Lacerda, homem que instituiu o munic√≠pio e o separou do Estado, deixando-o como Capital da Para√≠ba por tr√™s dias.

Fonte: Com Diamante Online
Comunicar erro
Paraiba Em Pauta

© 2022 Paraíba Em Pauta - Jornalismo Plural, de Interesse Público! Todos os direitos reservados à Pauta Comunicação & Assessoria.
Rua Vigário Calixto, 1754, Catolé, Campina Grande, Paraíba, Brasil.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Paraiba Em Pauta